Agropiauí

09/11/2017 (13h11) - Atualizada em 09/11/2017 (14h11)

Produção agrícola do Piauí cresce 177% e bate recorde, revela IBGE


A safra agrícola do Piauí cresceu 177% de 2016 para 2017, alcançando 3.644.921 toneladas e batendo recorde na produção de grãos.  A maior produção agrícola até então havia sido em 2015, quando o Estado atingiu 3.072.828 toneladas.



Os dados foram constatados no Levantamento Sistemático da Produção Agrícola 2017, do IBGE, apresentado nesta quinta-feira (9), no Blue Tree Towers. Esta é a primeira vez que uma entrevista coletiva nacional do IBGE acontece no Piauí.



Se a estimativa for mantida para este ano, o Piauí será o 12° colocado na participação relativa da produção agrícola do país, com 1,5% do total.



No Nordeste, a participação do Piauí só é menor que a da Bahia (3,3) e do Maranhão (1,8%). O Piauí é, portanto, o terceiro maior produtor de grãos da região.



Esteve presente no evento o gerente de Agricultura do IBGE do Rio de Janeiro, Carlos Alfredo Guedes. Ele apresentou os principais dados nacionais da produção e destacou que essa é a primeira vez que o país cresce tanto de um ano para o outro.



O Brasil produziu, em 2017, o total de 241,6 milhões de toneladas de grãos, o que representa alta de 30% em relação a 2016.



"A safra está praticamente colhida e é a primeira vez que o país cresce tanto na agricultura. O principal fator para isso foram as chuvas abundantes e bem distribuídas em todos os estados. Esse ano foi um ano de clima muito bom, já 2016 foi ruim", explica Carlos Alfredo.



Redução prevista para 2018



Já para 2018, o primeiro prognóstico do IBGE é de uma redução na produção da ordem de 8,9%, o que representaria 220,2 milhões de toneladas. Este prognóstico não é feito por observação, mas, sim, considerando os dados do último ano e a média dos anos anteriores, desconsiderando o maior e o menor resultado.



São esperadas quedas nas três principais lavouras de grãos do país: soja (-6,3%), milho (-14,4%) e arroz em casca (-6,8%). Também é esperado um recuo na produção de algodão herbáceo em caroço (-1,5%). Dentre as cinco principais lavouras, apenas o feijão em grão deverá ter aumento na safra: 1,3%.



As cinco regiões do país deverão ter queda na safra no ano que vem, em relação a esse ano: Norte (-3,2%), Nordeste (-5,8), Sudeste (-4,8%), Sul (-12,3%) e Centro-Oeste (-8%).



A título de comparação, o primeiro prognóstico para produção nacional de grãos em 2017 foi de 209,3 milhões de toneladas e o Brasil chegou a 241,6 milhões nessa última estimativa.



Chuvas melhoraram no Piauí



O coordenador de operações do Censo Agropecuário no Piauí, Pedro Andrade, em sua apresentação, ressaltou que o primeiro prognóstico para 2017 havia sido de 3,09 milhões de toneladas de grãos produzidas no Estado. O Piauí já atinge 3,68 milhões. “Estamos com as equipes em campo para daqui a 20 dias divulgarmos as informações finais do Piauí”, acrescenta Pedro.



Ele informa, ainda, que o alto crescimento da produção em 2017 no Piauí, assim como no Brasil, se deu pelo “péssimo” resultado registrado em 2016. “Podemos dizer que tivemos uma safra normal nesse ano porque as chuvas melhoraram”, justifica o coordenador de operações.



 



 



Também presente no evento, o secretário estadual de Desenvolvimento Rural, Francisco Limma, comemorou os resultados obtidos pelo Piauí em 2017 e o impacto que isso trouxe à economia. Ele lembrou dos anos em que a esperança era de que o Estado chegasse a 1 milhão de toneladas de grãos. "Hoje já estamos próximos dos 4 milhões de toneladas", frisou.



O secretário atribuiu os bons resultados aos investimentos da iniciativa privada e destacou que o Piauí tem se tornado mais atrativo nos últimos anos. "Hoje a iniciativa privada tem R$ 50 bilhões investidos em vários setores do Estado e toda semana grupos de empresários nos procuram mostrando interesse pelo Piauí e buscando informações. Isso é de fundamental importância para nossa economia", avaliou.



Fonte: Cidade Verde