Agropiauí

29/05/2018 (08h05) - Atualizada em 29/05/2018 (08h05)

Armadilhas contra Mosca da Carambola são implantadas na divisa PI/MA


A Agência de Defesa Agropecuária .do Estado do Piauí (Adapi) está instalando armadilhas de monitoramento da Mosca da Carambola ao longo de quinze municípios que margeiam o Rio Parnaíba. A ação segue o cronograma do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (MAPA) que visa combater e erradicar a praga no Brasil, visto que esta representa a principal ameaça para a fruticultura brasileira.



A intervenção é consequência de treinamento realizado pela Adapi, que capacitou Fiscais Estaduais Agropecuários de dez USAVs - Unidades de Sanidade Animal e Vegetal a fim de acompanharem as armadilhas instaladas no municípios alvos da ação. Todas as 40 armadilhas estão colocadas em locais estratégicos ao longo do rio, divisa natural com o vizinho Estado do Maranhão e que é considerado como sendo de alto risco pelo MAPA.



“Nesse treinamento foram abordados aspectos referentes à identificação e biologia da praga, montagem e manutenção de armadilhas com atrativo específico para a praga e coleta e envio de insetos para identificação”, afirmou Ernando Cardoso, Gerente de Defesa Sanitária Vegetal. Com este trabalho, o Estado do Piauí, através da Adapi, forma uma barreira de monitoramento da entrada desta praga na região nordeste, protegendo grandes regiões produtoras na área de fruticultura, a exemplo dos nossos tabuleiros litorâneos, dos Platôs de Guadalupe e Petrolina-PE.



Mosca



A Mosca da Carambola, Bactrocera carambolae (Drew e Hancoock, 1994), é originária da Indonésia, Malásia e Tailândia, sendo a única espécie do gênero presente no continente americano. É uma das espécies das moscas-das-frutas e possui grande impacto econômico para a fruticultura mundial. Ataca diversas espécies frutíferas, a exemplo da  carambola, goiabeira, manga, caju, laranja, acerola, tangerina, Jambo-vermelho, entre outras. É uma praga quarentenária A2, para o Brasil. Atualmente está presente no estado do Amapá e em algumas localidades de Roraima, com focos esporádicos no Pará.



Recentemente, o Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento publicou instrução normativa (nº 28/17) que fixa as medidas para combate e erradicação da mosca da carambola. Publicada em 26 de Abril no Diário Oficial da União, lista os procedimentos oficiais de vigilância que devem ser adotados em todo o país, também disciplina o trânsito de frutos de espécies hospedeiras da mosca da carambola originados de áreas sob quarentena, protegidas ou onde a praga já se encontra erradicada, além do trânsito interestadual de uma forma geral.



Fonte: Ascom