Agropiauí

29/05/2018 (08h05) - Atualizada em 29/05/2018 (08h05)

Emater realiza curso de piscicultura em Itainópolis


Por meio do Projeto Projeto Viva o Semiárido, foi realizado, no período de 22 a 24 de maio, em Itainópolis, curso de Piscicultura em Tanque Escavado. A ação foi destinada a membros da Associação de Piscicultores de Itainópolis. Serão investidos, aproximadamente, 90 mil reais, visando à infraestrutura e apoio para 16 famílias desenvolverem a cadeia da piscicultura.



Segundo o membro da associação Cleonilson da Silva, a parceria com o Emater viabiliza grandes conquistas para o grupo de piscicultores, com destaque para a realização de um evento voltado para a comercialização do pescado. “Agradecemos o apoio dos parceiros, pois essas ações nos qualificam mais ainda. Graças a elas podemos realizar um evento pioneiro, a Expopeixe, que será nos dias 7 e 8 de setembro, no município de Itainópolis”, finalizou o produtor.



No curso, os participantes recebem informações sobre condições necessárias para a prática da piscicultura, informações sobre espécies cultivadas, os ciclos de produção aquática, cadeia alimentar, a preparação e construção de viveiros (teoria e prática), temperatura e PH, além da construção de tanques rede e comercialização dos peixes.  O curso foi ministrado pelo diretor de Aquicultura e Pescado da SDR, Luciano Sousa.



O piscicultor José Constantino explica que a maior novidade do curso foi o fato de poder reutilizar a água dos tanques, e que esta prática vai ser aplicada pelas famílias. “Aprendemos que esta água fica bem melhor ainda, após usar na criação do peixe, para o plantio, para a sustentabilidade. Ela sai do poço diretamente para os barreiros escavados, passa em média seis meses, após esse período ela precisa ser trocada. A água que antes jogávamos fora agora é reaproveitada para o plantio de cana, banana, pimentas e outros. Nosso sonho é que possamos aumentar a produção e comercializar  o que é plantado”, disse Constantino.



O Emater Piauí, no âmbito do Projeto Viva o Semiárido, como entidade coexecutora e prestadora do serviço de assessoria técnica tem hoje na sua gama de projetos ações voltada para o apoio à piscicultura.



De acordo com o coordenador de Assistência Técnica Sistemática do Projeto Viva o Semiárido, André Rocha,  as ações promovidas pelo instituto visam melhorar a produção das famílias e ajudar na comercialização. “Atendemos aos municípios de Inhuma, Dom Inocêncio, Santo Inácio e Itainópolis, onde 60 famílias são beneficiadas. Temos um investimento de mais de trezentos mil reais aplicados na infraestrutura, construção de tanques e aquisição de alevinos, para que os piscicultores possam desenvolver mais suas atividades e elevar o nível de produção de tilápias e tambaqui”, explicou Rocha.



Segundo o diretor-geral do Emater, Marcos Vinicius, o instituto faz o acompanhamento técnico dessas famílias, orienta com relação às boas práticas de produção e realiza o acompanhamento sistemático até o momento da comercialização. “Queremos também fazer com que elas possam acessar os mercados institucionais e gerar valor agregado no produto. Para isso, promovemos cursos de filetagem de tilápias, boas práticas de conservação e comercialização e culinária do pescado. A ideia é qualificar mais ainda a família do piscicultor, gerar renda no município e incentivar as feiras locais por meio de uma assistência técnica e extensão rural cada vez melhor”, finalizou Marcos.



Fonte: Ascom