Agropiauí

05/06/2018 (08h06) - Atualizada em 05/06/2018 (08h06)

Adapi prorroga campanha contra febre aftosa


A Agência de Defesa Agropecuária do Piauí (Adapi) prorrogou o prazo da vacinação contra a febre aftosa para os rebanhos de bois e búfalos em todo o estado. O atraso na entrega da vacina nos postos distribuidores por conta da greve de caminhoneiros foi um dos motivos que fez o Piauí solicitar a prorrogação junto ao Ministério da Agricultura e Pecuária.



Com a prorrogação, os proprietários de rebanhos bovinos e bubalinos do Piauí têm até o dia 15 de junho para comprar a vacina nas revendas. O prazo para certificação da vacinação vai até 30 de junho.



O Piauí tem um rebanho de mais de 1 milhão e 650 mil cabeças de gado, de acordo com a Adapi. A meta deste ano é manter a vacinação acima de 90%. De acordo com o gerente de defesa sanitária animal da Adapi, Idílio Moura, além da greve de caminhoneiros, um problema no sistema de registro de dados também levou o estado a pedir prorrogação do prazo.



Os motivos principais da prorrogação da primeira etapa da campanha de vacinação foram por problemas técnicos e operacionais no sistema informatizado da Adapi e também a logística na distribuição e fornecimento de vacinas por parte de distribuidores para revenda, por conta da greve de caminhoneiros que comprometeu de sobremaneira a logística”, explicou.



O último registro de foco de Febre Aftosa no Piauí foi em 1997. A meta do estado é conseguir o selo de estado livre da doença em 2020. Com o selo, não há necessidade de vacinação do rebanho.



A vacinação contra a febra aftosa acontece em duas etapas: a primeira, em maio, é para todos os bovinos e babulinos; e a segunda, em novembro, apenas para os animais com até 24 meses de idade.



Por conta do problema no sistema de informação, a Adapi não tem índices de percentual do rebanho que já foi vacinado. De acordo com a Agência, tanto o problema de distribuição de vacinas como o de registro informatizado já estão resolvidos.



Agora a situação já está resolvida e esperamos atingir nossa meta de alcançar vacinação superior a 90%. Esperamos que os criadores vacinem o quanto antes os seus animais e certifiquem no escritório da Adapi”, disse Idílio Moura.



Fonte: Ascom